menu

13/02/2015

Astúcias e mentiras, atentados de falsa bandeira, falência econômica

Dando abertura a este novo ano de 2015, o nosso maior anelo é que os graves problemas que vivemos possam se resolver durante os próximos meses, e que ele seja de verdadeira unificação, segurança, benefício, progresso e harmonia, particularmente para aqueles que ainda têm certa esperança de uma mudança positiva que nos leve a criar essa estabilidade física, psíquica, emocional e econômica…
Então, o que fazer? De nossa parte, acreditamos que o mais correto para podermos avançar de maneira efetiva e segura é não baixarmos a guarda, e continuarmos nos mostrando de maneira massiva, com esse descontentamento-indignação, já que a nossa vida e futuro estão em jogo, e a única saída que nos resta é continuar insistindo para obtermos o que por direito nos pertence.
Para conseguir resultados concretos, é urgente acompanhá-lo com uma elevada frequência psicoenergética positiva e real, já que estabeleceríamos uma autêntica evolução nessa persistência, assim como no aspecto humano, ético-moral e espiritual, que são o apoio que nos aproxima de nossa família Galáctica Estelar que espera por nós e por nossa sobrevivência.

No entanto, os contratempos e dificuldades, seja no campo laboral, social, familiar, seja com os terríveis crimes para acabar conosco constituem a parte central de seu programa para nos desmoralizar, e só poderemos resistir-superar e combatê-lo, se realmente existir informação verdadeira, acompanhada de um conhecimento-discernimento-sensatez que nos faça ver a autêntica realidade desta trama cruel e maquiavélica, e jamais, por nada do mundo nos derrotarmos-decairmos-fracassarmos, já que essa é a finalidade dos obscuros e faz parte de sua agenda-plano exterminadora do gênero humano.

Por isso devemos continuar com os nossos objetivos internos, insistindo e reivindicando os nossos direitos, justiça e liberdade… que com discernimento, legalidade e inteligência fazem um contrapeso de luz a todo o sinistro e cruel que atualmente temos que suportar.